domingo, 11 de maio de 2008

Leitura Poética - Em busca dos poetas

130mg - POEMA ANTI-ABORTIVO (uso intravenoso)

A cidade aborta tanta gente viva
e abate cada esperança que agoniza!...
Num abrir e fechar de olhos a cidade aborta
enquanto a poesia aqui esmurra desse lado da porta!
Sim, a cidade aborta a palavra aberta
a cidade até tem demolido a palavra concreta,
e não dá ouvidos ao clamor do Poeta!... Queima-se a palavra
escritas nos muros, escrita nos livros, na pele do escriba,
escrita nas mãos, peitos, coxas, pernas... A palavra nas orelhas,
nas narinas... O verbo na lábia e lábios da vagina...
A palavra mesma, mais temida aqui do que cólica... Varrida
para longe na arrogância da força eólica!
Na superfície de ferrugem, na piscina das termas!...
Na cara escrita aqui na testa a cidade
e finge ou não se importa com tanta gente morta
em cada praça fria e cada travessa inócua,
em tantas ruas tristes e tantas outras tortas...
Eu, o Poeta bobo e bêbado ante tanta desgraça
trago ainda o Poema-Pílula, o Poema-Drágea...
130mg, anti-abortivo... Porque vivo!!!
Raniery Caetano, o Poethermal

Muitos acreditam que poetas existem apenas em livros de literatura. Existem apenas nos livros de Língua Portuguesa impostos aos estudantes. Pensam que os Poetas são só aqueles que os nomes de tão grandiosos já valem mais que a obra.
Duramente não sabem que os poetas estão nos cantos e esquinas, que a cada descer de lágrima, riso ou suspiro nasce um poeta. A maioria, omite-se. Alguns, penosamente, acatam. Estes usarão a poesia como amante, irmão, amigo, ouvinte, companheiro, plateia, e assim "vomitarão" todo aquele resíduo presente na alma sobre o papel.
A beleza de cada poesia, está na intensidade de sentimentos ali dedicados ou inseridos. Os leitores ou apreciadores desta arte, não precisam entender a mensagem. Não é dessa forma que é transmitida a sentimentalidade, mas é preciso sentir, ver, ouvir, cheirar os sentimentos. E só assim perceber a mensagem ali impregnada.
A poesia atua diretamente no auto-conhecimento, logo na própria compreensão. Sabendo-se disto, é hora de dedicar-se a poesia, deitar-se sobre a planilha, o caderno velho, ou o fundo daquele documento importante, e mostrar-se poeta, permitir-se. Ou começar a incansável e inquietante buscar pelos poemas que nos traduzem, para através deles completar-se.

2 comentários:

Iandra Bastos disse...

É MUITO bom saber que existe alguém alguem que além se sentir, faz -se transmitir ideias contiunuas da poesia classica e nao -classica ao meio social ! parabéns pela postagem

d pessoa disse...

Lindo post, Mozer!
Adoreeei, e a foto
virou fotopoema.

Bjjaum!